Processos

Aspersão Térmica a Chama

Utiliza a energia térmica proveniente da queima do acetileno ou propano com oxigênio para produzir camadas de aço resistentes ao calor, metais refratários, aços carbono e metais de baixo ponto de fusão.

Aspersão Térmica Arame Chama

Aspersão térmica Pó chama

Saiba mais

  • A aspersão térmica a chama foi o primeiro processo desenvolvido para revestimentos deste tipo.
  • A queima de acetileno por oxigênio, ou de propano por oxigênio produz energia térmica, no primeiro caso com temperaturas de 3.000 ºC, e no segundo de 1.800 ºC.
  • A chama oxi-acetilênica é usada para fazer revestimentos com aços inoxidáveis, com aços resistentes ao calor e com metais refratários.
  • A chama oxi-propano é usada para aços carbono e metais de menor ponto de fusão como níquel,alumínio,zinco e estanho.
  • O fato da temperatura da chama ser mais adequada ao ponto de fusão do metal trabalhado evita modificação metalúrgica da liga.
  • No equipamento profissional a chama, a queima se dá no interior do cabeçote de combustão, permitindo usar a expansão violenta de gás, gerada pela energia liberada na reação de oxidação, totalmente para acelerar as gotículas de metal líquido, levando-as para perto da velocidade do som.
  • Uma camada de ar comprimido em volta da chama, mantém a velocidade de saída, resfria o cabeçote de combustão, e, evitando formação de vapores metálicos, também limpa a superfície a revestir de poeiras eventuais.
  • Este processo produz camadas com menor conteúdo de óxidos, menor porosidade e melhores propriedades mecânicas pelo adensamento resultante da maior velocidade de deposição.
  • O controle dos  parâmetros de deposição é tornado complexo pela necessidade de perfeita estequiometria dos gases de queima e pelo fato da camada de ar comprimido poder envolver-se marginalmente na reação, se não usada na proporção correta.
  • É claro que um excesso de oxigênio será absorvido por oxidação de aço, como também um excesso de acetileno ou propano aumenta o conteúdo de carbono da camada.
  • O mecanismo de adesão de todas as camadas produzidas por aspersão térmica é o mesmo dos processos de solda: formação de liga metalúrgica. O processo de agarramento mecânico não leva a uma melhora mensurável da adesão.
  • Para obter adesão metalúrgica é necessário que a estrutura cristalina da superfície do metal-base seja destruída, gerando atividade das forças moleculares e atômicas para voltar a passivar a superfície. Se, durante este curto intervalo de tempo, procedemos com a aspersão térmica, o metal líquido depositado servirá para completar os cristais danificados, gerando adesão por forças moleculares além de zonas de difusão (solda) entre metal-base e camada depositada.
  • Quanto maior a velocidade das gotículas depositadas, melhor será a aderência, por ativar eventuais zonas que já voltaram a se passivar.

 

Faça o download com a tabela dos principais materiais depositado pelo processo de aspersão TÉRMICA A CHAMA.


Material para download.

cascadura.com.br
Todos os direitos reservados | Cascadura 2017